Dinvidade de Yeshua

Há vida fora da Terra? O que diz a Bíblia? ( Parashá Bereshit ) - Rab. Mess. Marcelo M. Guimarães - 5776/2015

Os rabinos dizem que quem conhece os três primeiros capítulos da Torá sabe e vai desvendar o segredo do universo, mas já bastam os três primeiros versículos, para ter muitas revelações.

Há algumas semanas, em uma revista de grande circulação nacional, saiu a matéria: “Há vida em Marte?”. E eu li aquela matéria e vi a opinião científica dos grandes cientistas da NASA. Acharam uma rocha que possui veios que podem ser agua, contudo já chegaram á conclusão que se tiver água, esta será salgada. Houve também relatos de um planeta chamado Kepler 1452 B, que parece muito com a Terra, então, os cientistas estão muito entusiasmados para saber se há vida fora do nosso planeta.

Para poder afirmar se há vida fora da Terra ou não devemos ter por base duas teorias. Você terá que abrir mão de uma delas, pois elas não se “fecham”, ou seja, são opostas. É como se você cresse em reencarnação e ressureição.  São elas: a Teoria Da Criação a qual analisaremos com os três versículos da Bíblia e a Teoria Da Evolução.

Estamos em uma luta do Teísmo versus materialismo, ou seja, daqueles que creem em D’us e daqueles que não creem e optam pelo lado da matéria.  Carl Sagan, um grande matemático, calculou e chegou à conclusão de que a probabilidade da Teoria Da Evolução ter ocorrido é de uma em dez, elevado a dois bilhões. A lei de Borel, que é a lei das probabilidades, afirma que qualquer probabilidade de dez, elevado a cinquenta não ocorre.  Fred Hoyle compara a Teoria da Evolução a uma montanha de sucata que após um vendaval forma um Boing 747 em perfeito estado e funcionamento.

Einsten dizia que a ciência sem religião é aleijada e a religião sem ciência é cega. Esta afirmação está certíssima, visto que quanto mais estudamos cientificamente mais a nossa fé cresce. O texto Cosmos, Bios, Theos, produzido por 60 cientistas de todo o mundo, diz que só há resposta convincente para explicar a enorme complexidade e as leis do Universo na criação por um D’us onisciente e onipresente. Imagine que com a codificação do DNA de uma ameba, que é uma célula, é possível escrever mil vezes a enciclopédia britânica.

Perguntas como quais eram as reações químicas, como era a atmosfera dos oceanos ou como surgiram/evoluíram os organismos vivos não são respondidas pela Teoria da Evolução. Segundo o dicionário de Oxford, para caracterizar-se como uma ciência, é preciso que todos os fatos sejam comprovados sistematicamente sob leis gerais e métodos confiáveis.

Muitos cientistas têm chegado à conclusão de que o Evolucionismo é uma filosofia de péssima qualidade. É uma falsa filosofia que destrói os princípios morais, sociais, que é totalmente hipotética e que nega a D-us e os seus princípios. Criaram um mito para destruir D-us e a Bíblia. Além disso, é uma filosofia irracional, desorganizada, caótica, ou seja, é preciso ter mais fé para crer que tudo veio do acaso, da junção de trovões, raios e cósmicos que ao se unirem a uma proteína perdida no espaço formaram tudo o que está no Universo. É preciso ter mais fé ao percebermos que temos dois olhos na frente, a boca, o nariz e toda uma estrutura corporal. Tudo funciona, tudo tem um princípio e tudo tem leis. Olhe para si mesmo e conclua de onde você veio. Você acha que é um macaco evoluído foi realmente descendente de um Adão caído?

É preciso sim ensinar a Teoria da Evolução nas escolas, mas deveria ser ensinada também a Teoria da Criação. O Dr. Bergman (The criterion) entrevistou mais de 100 cientistas, crentes que são perseguidos pela intolerância e inclusive já receberam ameaças de morte.  Diante desse fato, é possível perceber que sofre de intolerância aquele que crê e que fala com fundamento. Na verdade o evolucionismo é uma religião vã e não uma ciência, pois a ciência é tolerante.  Percebemos que a consequência da Teoria de Darwin foi a crença em que não há D’us, não há julgamento, não há vida eterna e tudo é matéria.

No princípio D’us criou os céus e a Terra. A palavra Bereshit vem de uma junção de palavras e segundo o Talmud sete coisas existiam antes da criação: O Messias, A palavra de D’us, A misericórdia de D’us, o Trono de D’us, a Torá, o propiciatório (o perdão dos pecados do homem) e a Árvore da vida. Torá vem do verbo Yará que significa lançar para o alvo ou acertar o alvo. O contrário de Yará é Chatá que quer dizer pecado ou errar o alvo. Torá não quer dizer lei. A palavra que traduz lei é Dath em hebraico. Torá quer dizer instrução, lançar conhecimento.

Em hebraico há duas palavras para criar: Uma é Beriá, que vem de Bará e quer dizer criou e a outra é Assiá, que quer dizer criar. Qual é a diferença dos dois verbos?

A palavra Bará, que vem do verbo Beriá, é uma palavra ex-nihilo (do latim) que significa criar do nada, e só D’us cria do nada. Já Assiá traduz-se por formar, e é uma palavra não ex-nihilo, ou seja, forma-se a partir de algo que já existia, por exemplo, que D’us criou a terra e mandou a terra produzir semente, desta forma, a semente é uma formação da terra.

Analisemos o seguinte exemplo. Para fotografar uma rosa desabrochando, é necessário bater várias fotos durante vários dias. Quando você vê tudo pronto, você começa a fazer o cálculo do tempo que a rosa precisou para desabrochar. O primeiro erro da ciência é calcular erroneamente o tempo, pois não sabem que D’us cria do nada e num tempo que não é o nosso tempo. O Semichut em hebraico é a palavra Bereshit.  É um acróstico que significa: No princípio da criação. Houve um princípio, pois, Elohim, que quer dizer O Poderoso, Bara, Beriá, criou do nada (criação ex-nihilo) os céus e a Terra. Esses céus se traduzem pela palavra Shamain, ela é composta de Sh (que quer dizer fogo) e main (que quer dizer água). Então céu nada mais é do que fogo e água, um composto de fogo e água. Subtende-se então que as galáxias foram formadas de vapor. É importante observar que D’us criou os céus e uma Terra. Ele criou os céus, os planetas, as galáxias e a Terra também, contudo, a Terra era um astro qualquer, entre parênteses, só que D’us a colocou em uma posição e inclinação fantásticas. Isso não foi o Big Bang. Se fosse tirado meio grau da Inclinação da Terra as geleiras dos polos encheriam os oceanos e não haveria praia, por exemplo. Belo Horizonte que chega a 2500 km do Equador já chegaria a temperatura de 40 ou 50 graus e este ultimo seria inabitável porque haveria um calor de 60 graus. Isso quer dizer que, esse meio grau calculado por alguém não foi obra do acaso, do Big Bang que explodiu e criou tudo, como um milhão de tonalidade de verdes.

Temos que entender as palavras Tohu Vavohu. A versão católica, grega, latina traduziu: A Terra era sem forma e vazia, entretanto, na verdade Tohu Vavohu é no contexto hebraico justamente o contrário da visão cristã de criação. Quando se traduziu a Bíblia para a língua grega, conceitos foram perdidos por que o tradutor teria que entender o hebraico. A primeira coisa que D’us faz é trabalhar no Tohu Vavohu. A Terra estava pronta e adaptada. O Targum Onkelos (escrito há cerca de 1900 anos) traduziu o Tohu Vavohu como “Tsadia Veracania”, do aramaico traduzindo o Tohu como inabitável, ou seja, sem vida (e não sem forma) e Vavohu como vazia, no sentido de inóspita, sem vida, desolada. Se fizermos uma Midrash com Isaías capítulo 45 versículo 18, Tohu é traduzido como desolada e desabitada. O que fazia a Terra ser inóspita?

Conheçamos, pois os dois inimigos da vida, que fizeram a Terra Tohu Vavohu, ou seja, inóspita e vazia. São inimigos porque são tóxicos. O primeiro inimigo chama Choshech que quer dizer escuridão, mas a Bíblia cristã traduziu como trevas. A palavra Choshech em hebraico é também o contexto de atmosfera tóxica ou denso vapor sem atmosfera. Para ter vida, tenho que ter atmosfera e tirar essa escuridão, todavia a escuridão não é ausência de luz como a Bíblia cristã traduziu, porque Isaías já fala que D’us criou a escuridão, sendo assim não era ausência de luz. Quando houve pragas no Egito, uma delas foi as trevas, e a palavra usada foi Choshech. Os egípcios acendiam as velas e não clareava, não sendo, pois, ausência de luz. Era então uma substância, um vapor denso, escuro. Analisando ainda Isaías 45 temos que D’us criou essa escuridão antes da luz, então não é ausência de luz, porque não havia luz.

Maimônides na Idade Média entendeu a escuridão como um fogo invisível, vapores escuros de água, uma substancia negra. Hoje os cientistas sabem que são os radioativos. A revista de grande circulação nacional que abordou sobre a vida em Marte afirmou que existe lá uma radioatividade dez vezes mais que uma usina nuclear, então, não pode ter vida, pois há um Choshech que, para se ter vida, tem que ser retirado.

O segundo inimigo é Tehon, que foi traduzido erroneamente como profundeza do abismo.  O que é necessário que os cientistas entendam é que D’us já cria na forma adulta, por exemplo uma rocha, aos ser estudada pode ter aspecto de ser mais antiga do que ela realmente é, pois D’us já havia a criado como rocha e não como pedrinhas que foram se juntando e a formaram. Como Ele criou Adão, Ele criou o Universo. Mas será que há vida ou não?

A revista Veja 2446 – nº 40 – out 2015 trouxe as seguintes informações.

Terra:

Atmosfera 21%02; 0,04CO²

Temperatura -60 a 45

Gravidade 1 atm

Radiação C.Mag. 99,9%

Solo Retém água (condições para os orgânicos).

 

Marte:

 

Atmosfera 0,13%02; 95% CO²

Temperatura -120 a 20

Gravidade 0,33 atm

  1. Mag 6,6%

Solo 10x menos (não tem o elemento Perclorato Tóx.)

 

Com 0,13% de oxigênio não existe possibilidade de vida. Nem mesmo uma bactéria consegue sobreviver nessas condições. O conceito de vida que D’us criou só é possível em uma atmosfera equilibrada, pois sem pressão atmosférica o coração para e o sangue entope na primeira veia em que passa. A ameba da mesma forma não sobrevive, pois ela tem que fazer a osmose, ou seja, a troca da membrana plasmática com o ambiente.

Examinando as informações trazidas pela Revista Veja, a radiação em Marte é cerca de 15 vezes maior que na Terra. É como se tivessem aberto todas as usinas nucleares do Brasil e essa radiação saísse. Ainda que haja agua em Marte não é possível existir vida, pois não tem o Rakia, ou seja, a atmosfera propícia. Da mesma forma ocorre com o planeta Kleper – 452b que dista a 1400 anos-luz da terra.

 

O cientista americano Thomas Nagel, ateu, publicou um livro chamado “Mind and Cosmos” e afirma que a teoria naturalista da evolução é totalmente impossível, pois, as milhares de espécies de plantas e animais não poderiam nunca ter vindo de um mundo inanimado, levando em conta que tudo possui uma mente lógica, uma inteligência superior.

 

O C.S. Lewis, um teólogo inglês que viveu há 200 anos afirma que crê que pode existir vida em outros planetas, e se houver, foi D’us quem criou. Contudo, para D’us criar outras vidas fora da Terra, Ele teria que criar também outras leis fora das nossas leis. E, nós sabemos que as leis são universais porque a Bíblia fala que D’us é o D’us de ontem, o de hoje e o de sempre. Então, como Ele iria mudar? Não tem sentido. Ele teria que anular a lei que Ele criou aqui para criar outra lei lá, pois a Bíblia diz que Ele não muda. Não existe a possibilidade de haver nenhum tipo de vida humana lá fora e se houver é outro tipo de vida, que fere as leis naturais de tudo o que nós conhecemos. Seria outro deus talvez, pois o mesmo D’us que criou os céus e a Terra não criaria outras leis para outros planetas. D’us poderia ter criado a Terra completa e porque Ele não criou? Para mostrar que ela não veio de uma evolução automática. Por isso Ele criou passo-a-passo.

Adão pecou, perdeu o Éden, e careceu de redenção pelo seu filho chamado Yeshua. Será que em outros planetas esse homem, que lá existe, teria pecado? Será que esse outro Adão que existe em outro planeta é um ser extraterrestre que estaria vivendo no Éden e no paraíso? E se ele não pecou, há Éden lá fora e aqui nós sofremos a consequência do pecado? Seria isso justo da parte de D’us, criar um ser semelhante aqui para sofrer, e o outro lá, para viver no paraíso? Que D’us é esse? Teria sentido Yeshua morrer várias vezes em outros planetas para trazer redenção aqueles seres planetários? A cruz aqui não vale lá? E a cruz de lá valeria aqui?

 

Isso é confusão, pois só há uma morte e só há uma ressurreição, quer para a condenação ou quer para a segunda morte chamada juízo final. Se D’us escolheu a Terra como único lugar habitável para colocar o seu ser semelhante a Ele, então o homem também é único. Se D’us é único, o homem também é único. Se houvessem vários deuses seria possível crer em vários homens, mas só há um D’us e só há um homem. D’us teria que criar planetas que tivessem a mesmas condições da Terra para a existência da vida como a nossa ou Ele criaria seres totalmente diferentes que respirariam gás carbônico e se alimentariam de elementos tóxicos.

 

Se D’us é amor, Ele criaria cópias do homem ao redor do mundo como se fossem robôs? Ele sairia criando seres copiados? Então, porque temos uma íris, uma impressão digital e um DNA específico e único? Até para sacar um dinheiro, o banco confia na criação divina, ou seja, confia que só um ser humano tem aquela marca. O seu DNA é igual ao do seu pai, do seu avô, do seu bisavô e dos outros ancestrais há 6.000 anos sem mutação nenhuma. Esse é o D’us que te criou.

 

E D’us sendo “Adonai Echad” porque criaria outros seres em outros planetas semelhantes a Ele? Com que propósito? Qual seria a razão para D’us criar cópias de Si mesmo em outros planetas?

 

Em João capítulo 3 versículo 16 diz que Ele amou o mundo (universo) de tal maneira que deu seu Filho unigênito para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

Porque Nele (Yeshua) foram criadas todas as coisas nos céus e na Terra, as visíveis e invisíveis… Colossenses capítulo 1 versículo13.

E mesmo se D’us trabalhasse amanhã em Marte, tirando o Coched, tirando o Tehon e colocando o Rakia, Ele criaria a vida, mas não criaria o homem. Ele casou com o povo de Israel. Haveria outros povos lá também para que D’us se casasse? Por acaso D’us agora é um polígamo que casa com vários povos?

Yeshua vai desposar com uma igreja. Será que Ele se casaria com outras várias igrejas em outros planetas? Ele continua fiel.

 

A grande verdade que o homem recusa em crer é que D’us é amor e criou o homem na Terra e todo o universo para enfeitar a sua noite, mostrando o tamanho de Seu amor e de Sua grandeza.  Quando estamos em uma praia que não tem prédios, só tem o mar e o firmamento, o horizonte, podemos olhar para cima e dizer: “Esse é o tamanho do amor D’Ele”. O jardim da casa D’Ele são as galáxias e Ele colocou os astros, colocou até o planeta Marte, que desponta no por do sol mais rápido, para clarear a nossa noite. Ele colocou uma lua cheia, sob a qual você consegue andar sem velas e deixou tudo funcionando. Colocou milhares de tonalidades de verde e qualidades de grama que são tapetes para pisarmos. Ele colocou as plantas desde um simples jiló que é rico em aminoácidos e antiácidos até um fruto mais gostoso como o chuchu. Então, esse é o D’us grande, que mostra o tamanho do seu amor pelo tamanho da sua criação.

Isaías capítulo 42 versículos 5 e 6 diz: O Senhor criou os céus e os desenrolou, e estendeu a Terra e o que dela procede… Eu sou o Senhor que te chamei em justiça; tomei-te pela mão e te guardei e te dei por pacto ao povo, e para a luz das nações.

Se esse D’us nos faz essa declaração de amor e declara isso em outro planeta, esse D’us é um traidor. É como se uma mulher tivesse vários maridos.  É isso que os cientistas não entendem: A fidelidade e o tamanho do amor de D’us.

Isaías capítulo 42 versículo 20 diz: …Tu vês muitas coisas, mas não as guarda; ainda que ele tenha ouvidos abertos, nada ouve… Assim é a humanidade.

Isaías capítulo 43 versículo 4 diz: …Visto que fostes precioso aos meus olhos, e és digno de honra e eu te amo, portanto, darei homens por ti, e os povos pela tua vida.

D’us diz para você: Eu te amo. E Yeshua diz em Apocalipse 22:20: …Certamente cedo venho

Amém. Vem Senhor Yeshua. MARANATA! A Graça Dele seja com todos.

 

Todos os Vídeos | © 2015. Todos os direitos reservados. Ensinando de Sião | contato@tvsiao.com